Jujutsu Kaisen: 10 personagens que deveriam ter Expansão de Domínio

Ah, então você quer dar uma apimentada no papo sobre “Jujutsu Kaisen” e essa coisa toda de expansão de domínio, né? Beleza, vamos lá!

Primeiro, pra quem tá por fora, expandir o domínio em “Jujutsu Kaisen” é tipo ser o craque da bola no futebol. Só que mesmo entre os feras do Jujutsu, nem todo mundo tem essa manha. Tipo, o Gojo falou que é mó complicado usar um domínio. Tem um monte de gente forte pra caramba que ainda não conseguiu.

Agora, só ter experiência, uma técnica amaldiçoada da hora e energia amaldiçoada até o talo não é o bastante pra usar um domínio. Claro, tem os domínios simples que podem até dar um caldo contra um domínio real, mas os verdadeiros são outra história: mais fortes e eficazes. Tem uns caras que por mais que ralem, não conseguem chegar lá.

Vamos falar de uns personagens que, na moral, mereciam ter um domínio, mas a vida não é justa, né?

Masamichi Yaga, o chefão dos cadáveres amaldiçoados. O cara é tão bom que criou o Panda, um cadáver autossuficiente com três núcleos e tudo mais. Apesar de toda essa manha, ele não consegue usar um domínio. Vai entender!

Ogi Zenin, pai da Maki. O cara era obcecado por poder e energia amaldiçoada. Ele devia estar se coçando pra ter um domínio, mas, né, não rolou.

Hajime Kashimo, o Deus do Relâmpago. O cara era um monstro há 400 anos atrás, fez até pacto com o Kenjaku pra voltar à vida. Matava feiticeiro como quem troca de camisa, mas domínio que é bom, nada.

Naobito Zenin, o chefão do clã Zenin. Com tanta pressão pra ser o mais forte, o cara deve ter sofrido pra caramba por não conseguir usar um domínio.

Aoi Todo, o cara que faz o Itadori parecer aluno da pré-escola. Ele tem uma imaginação fértil e é um talento nato. Mas domínio? Ih, passou longe.

Kento Nanami, o ex-assalariado virado feiticeiro. Esse cara é um fenômeno, conseguindo usar o flash negro quatro vezes seguidas. Isso mostra que ele manja dos paranauê da energia amaldiçoada, mas, saca só, mesmo com todo esse poder, o domínio ainda é um sonho distante pra ele.

Kokichi Muta, o cara por trás do Mechamaru. Ele tinha energia amaldiçoada pra dar e vender, mas nunca chegou a desenvolver um domínio. Teve que se virar com uns truques tecnológicos pra compensar. Isso mostra que ter poder não é tudo.

Suguru Geto, um dos quatro feiticeiros de nível especial. O cara controlava uma legião de espíritos amaldiçoados, mas, mesmo assim, um domínio era algo que ele não tinha no repertório. É meio louco pensar que alguém com tanto poder não conseguia usar o tal do domínio.

Mei Mei, a guerreira independente. Ela passou a vida toda aprimorando suas habilidades e se tornou uma baita lutadora. Mas, quando o bicho pegou, ela teve que contar com a ajuda do irmão para lidar com um domínio inimigo. Mostra que, mesmo sendo uma das melhores, ainda faltava aquele algo a mais.

Jinichi Zenin, o mano do Toji. Enquanto Toji era um caso à parte por não ter energia amaldiçoada, Jinichi tinha energia de sobra. Mesmo assim, ele não conseguiu usar um domínio. Isso só prova que, no mundo do Jujutsu, ter poder não é garantia de dominar todas as técnicas.

É isso aí, essa galera toda mostra que, em “Jujutsu Kaisen”, ter uma expansão de domínio é tipo ganhar na loteria da feitiçaria. Tem que ter mais do que só força bruta ou energia amaldiçoada. Precisa de um quê a mais que, às vezes, nem os mais fortes têm.

Acompanhe o site no Google News

- Publicidade -

últimos posts